Apresentação

Crescem o clamor e a mobilização por políticas econômicas, social e ecologicamente responsáveis. Movimentos sociais e Igrejas apontam, com toda a clareza, que a economia deve estar em função da reprodução da vida humana e do cuidado e preservação de toda a criação e não do deus dinheiro e do “deus” mercado.

Tornou-se clara toda a gravidade da crise ecológica, com eventos extremos: de secas, inundações. A terra não é mais capaz de recompor suas perdas causadas pela sobre-exploração dos recursos naturais não renováveis, destruição acelerada das matas, rios e oceanos e pela contaminação do ar, que colocam em cheque nosso modelo civilizatório. O Curso de Férias de 2016 irá debater o tema, ECONOMIA PROMOTORA DOS DIREITOS HUMANOS E AMBIENTAIS.

O Curso Soma-se ao apelo do Papa Francisco na Encíclica Laudato Si’ e à (C F E) de 2016, promovida pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs/CONIC: CASA, COMUM NOSSA RESPONSABILIDADE.

A C F E estará voltada para o saneamento básico capaz de assegurar água de qualidade, esgoto e lixo tratados e coletados, com o lema tirado do Profeta Amós: Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca (Am 5.24).

OBJETIVOS

O Curso de Férias é um programa de formação popular no campo sócio-político­ cultural, a partir da realidade e seus desafios, à luz da Bíblia, Teologia, Pastoral e do empenho na transformação da sociedade. É um espaço ecumênico e inter-religioso de convivência, partilha de vida, intercâmbio de experiências, celebração  e compromisso. Com especial atenção aos jovens,  acolhe participantes de todas as idades, em busca de maior compreensão, respeito e equidade entre mulheres e homens, no esforço para transformar as pessoas e a sociedade, na linha da justiça, solidariedade e salvaguarda do meio ambiente.

Será um curso realizado em mutirão, pessoas, famílias, comunidades, movimentos populares e instituições educativas e religiosas colocam-se gratuitamente a serviço de sua preparação ao longo do ano e de sua realização na Diocese de Caratinga. O curso tem caráter Diocesano, organizado para um público de 300 pessoas. Oferece, ao mesmo tempo, atenção muito pessoal a cada cursista que é acolhido em grupos menores, dentro da metodologia da educação popular (Método Paulo Freire), que combina reflexão e criatividade, arte e celebração, vivência e compromisso.